domingo, julho 01, 2007

Combateremos a Sombra, leitura de Julho e...

Combateremos a Sombra o nono romance de Lídia Jorge, prende o leitor da primeira à última página. Através de Osvaldo Campos, um psicanalista invulgar que vai sofrer uma enorme alteração na vida, a autora explora a alma humana. No seu consultório e na vida, cruzam-se várias personagens detentoras de mistérios que ultrapassam os da psique. Maria London, a sua “paciente magnífica” e Rossiana a mulher misteriosa que surge no prédio do consultório na noite da passagem do milénio e com quem se relaciona, levam Osvaldo Campos a deparar-se com vários elementos que apontam para a existência de uma rede de tráfico muito bem organizada com várias personalidades públicas envolvidas. Vai tentar denunciá-la e vê-se envolvido numa saga pessoal que coloca em confronto o seu desejo de consertar o mundo, com a teia de cumplicidades à volta do silêncio que existe na sociedade, em que uns ignoram, outros sabem e fingem não saber, e também os que sabem e procuram denunciar numa luta contra uma imensidão de obstáculos. É a análise de um país abandonado à sombra…uma ficção com um “assomo político” na voz da autora. De uma actualidade assustadora, é um daqueles livros de leitura quase obrigatória.

“Osvaldo não segurava apenas dois peixes, segurava um cardume inteiro.

Quando entrou no consultório uma bátega fustigava os vidros das janelas, e ele tinha a certeza que não seria a pessoa de Maria Cristina que o desviaria do seu caminho.
“Nem morto, minha querida…”
O psicanalista despiu a gabardina e instalou-se junto do aquecimento. Sobre a mesa colocou a Agenda de Secretária de 2001 com as primeiras vinte páginas já preenchidas. A agenda de bolso uma pequena Pierre Cardin forrada de seda, oferta dos seus alunos de Mestrado – coisa fininha para botar de pacemaker junto do coração como eles tinham dito – não ocupava lugar, parecia um símbolo. Alinhou os dois telefones e os papéis de notas, à sua frente. Passava da meia noite mas estava disposto a ouvir todas as mensagens até ao fim. O braço de Maria Cristina não conseguiria alcançá-lo ali onde se encontrava, protegido pelas mensagens dos seus pacientes. Maria Cristina não conseguiria tocar no discernimento que ele usava para separar os que poderiam esperar pela hora marcada daqueles a quem deveria ser agendada uma sessão para mais tarde, daqueles outros, prioritários, a quem já deveria ter retribuído o telefonema no dia anterior e agora era urgente fazê-lo no dia seguinte. Estava nesse caso o General Ortiz, cujas palavras tinham ficado entrecortadas por longos silêncios e a tosse do costume. A certa altura o general tinha deixado gravado o seu desabafo – "Estão lançados os dados como o senhor bem sabe. Antevejo uma Batalha de Lepanto generalizada à escala mundial. Mas eles estão cegos, não vêem nada. Boa-noite, professor…” E depois tinha tossido até desligar. Era urgente telefonar ao general. E havia algumas chamadas sem mensagem, separadas pelas falas de Maria London Loureiro. Desde o dia anterior que sabia que a sua paciente não tinha embarcado no Apolónia, ela já o havia dito de todas as formas possíveis. Passava adiante. Maria London era uma rapariga muito especial. Queria recebê-la no dia seguinte nem que fosse às oito da noite. Porque tudo iria ser normal no dia seguinte.

Osvaldo Campos mantinha na mão o cardume inteiro. "
“In, Combateremos a Sombra, Lídia Jorge, Publicações D. Quixote, Março de 2007 (pag.64/65 de 482) .
Da querida Renda de Bilros do blogue que conversa! recebi o Prémio Blogue com Grelos, que muito bem crescem no campo... Obrigada Renda!

"O Prémio *Blogue com grelos* premeia mulheres que, na sua escrita, para além de mostrarem uma preocupação pelo mundo à sua volta, ainda conseguem dar um pouco de si, dos seus sentires e com isso tornar mais leve a vida dos outros. Mulheres, mães, profissionais que espalham a palavra de uma forma emotiva e cativante. Que nos falam da guerra mas também do amor. A escrita no feminino, em toda a net lusófona tem que ser distinguida."
E as meus blogues femininos nomeados são...





Boa Leitura!

BEIJOS!

23 comentários:

serenidade disse...

Olá Papoila,

uma optima sugestão.

Parabéns pela nomeação.

Serenos sorrisos.

Peter disse...

Nomeei-te para o Prémio "As 7 Maravilhas da Blogosfera". Bem o mereces.

sony disse...

UFF ESTOU ESTAFADA!
Boa noite, estive numa missão secreta para ti! Está no meu blog!
Sony:-)

linfoma_a-escrota disse...

UAU BLOG COM GRELOS TB KERO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

CHEIRA MAL MAS SABE BEM

Secreta disse...

Estamos mesmo em época de prémios! :)
Parabens pela noemação , merecida , sem dúvida alguma e obrigado por nomeares a mim!
Boa semana.
Beijito.

Sandecida disse...

ola linda
um prémio decididamente mto bem entregue... parabéns...

bjos sempre doces

Catarina disse...

Ola Papoilita:

Bem falta me farão sugestões de leitura daqui a duas semanas quando me vir sem internet em casa!
Entretanto aproveito estes ultimos dias antes de sair para por a cusquice em dia:)

Mesmo em Paris a leitura em Português não não é facil de achar, mas enfim, aproveitarei o que encontrar julgo que ha varios cafés que recebem o jornal "O record" e a revista "Maria" (veja là a minha sorte!!), de resto uma ou duas livrarias tem livros em Portugues e de autores brasileiros e africanos, e podemos sempre desencantar a pérola rara que nos salve do tédio.

Bjtos

Maria Clarinda disse...

E já o tenho na mão...Será leitura que vou começar no meio deste mês ,pois estou a acabar um poutroo.
Jinhos mil.

Menina do Rio disse...

Olá querida, li teu comment no Sino da Aldeia e vim agradecer-te.
Acho que nunca nos visitamos, apesar de termos amigos blogueiros em comum, mas sempre é hora pra se ter novos amigos.
Deixo-te um beijo e meus votos de uma semana iluminada!

Kanoff disse...

Ah ! non ! c'est un peu court, jeune homme !
On pouvait dire... Oh ! Dieu !... Bien des choses en somme.
En variant le ton, -par exemple, tenez :
Agressif : "Moi, monsieur, si j'avais un tel nez
Il faudrait sur-le-champ que je l'amputasse !"
Amical : "Mais il doit tremper dans votre tasse :
Pour boire, faites-vous fabriquer un Hanape !"
Descriptif : "C'est un roc!... C'est un pic!... C'est un cap!...
Que dis-je, c'est un cap?... C'est une péninsule!"
Curieux : "De quoi sert cette oblongue capsule ?
D'écritoire, monsieur, ou de boîte à ciseaux ?"
Gracieux : "Aimez-vous à ce point les oiseaux
Que paternellement vous vous préoccupâtes
De tendre ce perchoir à leurs petites pattes?"
Truculent : "Ca, monsieur, lorsque vous pétunez,
La vapeur du tabac vous sort-elle du nez
Sans qu'un voisin ne crie au feu de cheminée ?"
Prévenant : "Gardez-vous, votre tête entraînée
Par ce poids, de tomber en avant sur le sol !"
Tendre : "Faites-lui faire un petit parasol
De peur que sa couleur au soleil ne se fane !"
Pédant : "L'animal seul, monsieur, qu'Aristophane
Appelle Hippocampéléphantocamélos
Dut avoir sous le front tant de chair sur tant d'os !"
Cavalier : "Quoi, l'ami, ce croc est à la mode?
Pour pendre son chapeau, c'est vraiment très commode !"
Emphatique : "Aucun vent ne peut, nez magistral,
T'enrhumer tout entier, excepté le mistral !"
Dramatique : "C'est la mer Rouge quand il saigne !"
Admiratif : "Pour un parfumeur, qu'elle enseigne !"
Lyrique : "Est-ce une conque, êtes-vous un triton ?"
Naïf : "Ce monument, quand le visite-t-on ?"
Respectueux : "Souffrez, monsieur, qu'on vous salue,
C'est là ce qui s'appelle avoir pignon sur rue !"
Campagnard : "Hé, ardé ! C'est-y un nez ? Nanain !
c'est queuqu'navet géant ou ben queuqu'melon nain !"
Militaire : "Pointez contre cavalerie !"
Pratique : "Voulez-vous le mettre en loterie ?
Assurément, monsieur, ce sera le gros lot !"
Enfin parodiant Pyrame en un sanglot:
"Le voilà donc ce nez qui des traits de son maître
A détruit l'harmonie ! Il en rougit, le traître !"
- Voila ce qu'à peu près, mon cher, vous m'auriez dit
Si vous aviez un peu de lettres et d'esprit :
Mais d'esprit, ô le plus lamentable des êtres,
Vous n'en eûtes jamais un atome, et de lettre
Vous n'avez que les trois qui forment le mot : sot !
Eussiez vous eu, d'ailleurs, l'invention qu'il faut
Pour pouvoir là, devant ces nobles galeries,
Me servir toutes ces folles plaisanteries,
Que vous n'en eussiez pas articulé le quart
De la moitié du commencement d'une, car
Je me les sers moi-même, avec assez de verve,
Mais je ne permet pas qu'un autre me les serve.

Maria Elisa disse...

Amiga Papoila. Deste um pouco de leitura e abriste, o apetite para ler este livro se calhar agora nas férias,terei um pouco mais de tempo.Papoila olha boa semana para ti com os teus claro,beijinho de amizade.
Fica bem.Lisa

rendadebilros disse...

Muito bem pensado e sugerido! Nem era de esperar outra coisa... habituas-nos mal é o que é!
Boa semana. Beijinhos.
( Em Trancoso, estava tudo muito bonito num lindo espaço , mas a festa maor tinha sido sábado com o "casamento de D. Dinis com D. Isabel de Aragão"... mas enfim, nós fomos almoçar e estava um bocadinho frescote neste verão por enquanto amis parecido com o Outono!)

Entre linhas... disse...

And�mos na onda das nomea�es..parab�ns,�s merecedora.
Uma boa semana para ti
Bjs Zita

Wiviane disse...

Olá linda!
Estou aqui para convidar para ver o novo visual do meu blog, espero que goste.
Tenha uma ótima semana.
Beijos no seu coração.
Wiviane.

sonhadora disse...

Pela descri�o parece-me que vou passar uns bons momentos a ler.
Beijinhos embrulhados em abra�os

Praia da Claridade disse...

Maria Papoila: realmente uma sugestão de leitura !
Votos sinceros de uma boa semana.
Beijos.

mixtu disse...

tenho que conhecre mais da lidia...
o que li, abriu-me o apetite

ps, desde quando se agradece as minhas visitas, ai, ai

abrazo

Um Poema disse...

Vai, na blogosfera, uma febre de legumes... rsrs
Será que a seguir vêm as cebolas, os alhos, ou agriões?... rsrs
Parabens!
Afinal um prémio, nem que seja de grelos, é sempre um prémio.

Um abraço

J.G. disse...

Mais uma recomendação com a chancela "Papoila".

De um livro de uma das poucas grandes escritoras portuguesa, acho eu, claro.

Uma palavrinha para mais um prémio, merecido e para anomeação justíssima de um blogue que conheço há mui e recomendo - ECOS do TEMPO.
Aos outros não me refiro porque os não conheço.

Um bjnh.

minds disse...

E bem mereceste o prémio...
Adorei a dica do livro do mês... vou prokura-lo...

bjs

F F Moniz disse...

Olá! Sou novo aqui no Blogger. Sou escritor e busco amigos que tenham interesse em literatura. Quando tiver um tempo, visita o meu blog, ok? Um grande abraço e parabéns pelo seu blog!

Carol disse...

Olá Papoila
Quando li teu comente...fiquei emocionada...Sabe é muito bom estar aqui em teu espaço,sempre encontro boa leitura e ótimas dicas...e tu mereces o prêmio ...Parabéns amiga...
Bjo no coração
CAROL!

António disse...

Querida Papoila!
O teu resumo do livro deixa antever uma leitura que prende o leitor e o faz pensar.

Beijinhos