domingo, dezembro 02, 2007

Leitura de Dezembro "Kafka à beira-mar"

A sugestão de leitura de Dezembro é uma das leituras mais fantásticas, surpreendentes, hipnotizantes que fiz nos últimos tempos. Kafka à beira–mar de Haruki Murakami é um romance com mais de seiscentas páginas que nos conta em paralelo as aventuras de Kafka Tamura, um jovem que no dia em que faz 15 anos, decide fugir de casa. Vive com o pai, escultor bem sucedido e com quem tem uma relação fria e distante que lhe faz uma profecia que o perturba e ensombra. A mãe e a irmã mais velha saíram de casa vários anos antes. Esquecido das suas feições parte para uma cidade que não conhece e refugia-se no seu local preferido, uma biblioteca, um espaço acolhedor onde encontra as mais diversas leituras. Protegido por Oshima com mantém longas conversas e a própria directora da biblioteca o seu romance da adolescência, Kafka descobre o mundo ao descobrir quem verdadeiramente é. Nakata, um idoso cuja infância terá sido marcada por um estranho incidente durante a guerra. Fez parte de uma excursão escolar à montanha, durante a qual todos desmaiam simultaneamente excepto a professora que os levou. Os colegas recuperem poucas horas depois, mas Nakata permanece inconsciente durante vários dias, no final dos quais acorda sem memória, sem recordações ou conhecimentos. Atinge a velhice analfabeto dependente de uma mísera pensão do governo e tem um estranho part-time - encontrar gatos perdidos com quem consegue conversar melhor do que com as pessoas. Na suas deambulações conhece Hoshino um camionista de longo curso que nele vê o seu avô e que o ajuda na procura da pedra mágica que ligará toda a trama. Neste romance as duas personagens deambulam constantemente entre o sonho e a realidade e influenciam-se num plano irreal em que o tempo não conta. É uma história feita de coincidências, personagens peculiares, gatos que falam e peixe que chove do céu. O autor, não fala do fantástico, usa o fantástico como metáfora numa escrita simples e poética. Haruki Murakami obriga-nos a pensar no sentido das palavras, e o livro apesar do seu volume prende-nos da primeira à última página.
E o 5º parágrafo da página 161 (a pedido de dois grandes amigos Peter doConversas de Xaxa 4 e SOPHIAMAR) diz o seguinte:
“Seguiu-o a uma distância razoável. Passaram por uma série de cruzamentos e depois abandonaram a zona comercial. O cão não ligou nenhuma aos sinais para peões. Como as ruas não eram muito largas e os carros não andavam depressa, deixara de ser assim tão perigoso atravessar com o vermelho. Os condutores eram obrigados a colocar o pé no travão ao ver aquele animal enorme a aparecer diante deles. O cão, esse, limitava-se a mostrar os dentes, olhava fixamente para os automobilistas em ar de desafio e atravessava a rua sem pressas. O cão conhecia perfeitamente o significado dos sinais, essa era a sensação que Nakata tinha, mas ignorava-os de propósito. Decididamente era um cão que estava habituado a levar a sua avante.”
In, Kafka à beira-mar, Haruki Murakami, tradução de Maria João Lourenço, 5ª edição, Janeiro de 2007, Casa das Letras.
BOA LEITURA!
BEIJO MEU PARA TI!
BEIJOS!!

19 comentários:

António disse...

Minha querida!
Consegues ler livros com mais de 600 páginas?
Eu morria antes de acabar...ah ah ah

Beijinhos

Mahira disse...

Tenho um livro desse autor cá em casa que ofereceram.nos mas ainda náo tive tempo para o ler! Estou a ler dois ao mesmo tempo lol! Bom fim de semana (do que resta pelo menos)

Meg disse...

Esta não é só uma sugestão, é também um desafio de 600 páginas que entrará para a lista dos "a comprar, para ler quando sobrar tempo".
Mas pelo que li aqui, valerá decerto a pena.
Obrigada e bom fim de semana.

U m abraço

rendadebilros disse...

Excelente "exposição" de outro livro que aconselhas... o pior é sempre o imperdoável tempo ou antes a falta dele...
Beijos.

Carminda Pinho disse...

Papoila,
"Kafka à beira mar" um livro que não li mas que por aquilo que referes deverá ser excelente.

Boa semana amiga.
Beijinhos

Paulo Fernando disse...

Literatura maravilhosa. É um presente para qualquer um que queira mergulhar no conhecido mundo das surpresas. rs... paradoxo? Sim. Mesmo assim, fenomenal!

abraços

ab initio disse...

Não tendo tido a oportunidade de ler qualquer obra deste popular escritor japonês, sei que é um homem com várias obras publicadas e uma rica actividade como tradutor.

Agradeço que me tenha lembrado da sua existência e da indicação para aquele que, tanto quanto me informei, será o seu mais recente livro, de 2002, traduzido agora para português.
Agradeço igualmente o seu comentário na minha página.

Cumprimentos.
João Lisboa
www.abinitiolisboa.blogspot.com

Diva disse...

Também adoro ler,estou actualmente a meio de um livro,mas não tem 600 páginas:P Contudo é uma sugestão interessante:)
Boa semana
Beijokas 1000
http://fanlove.blogs.sapo.pt

Entre linhas... disse...

Pela tua definição deve ser uma obra bastante interessante,a ter em consideração neste momento estou a ler "Memórias de uma Gueixa" de Arthur Golden,tb é uma excelente obra.
Bjs Zita

Agulheta disse...

Amiga Papoila. Gostei do que li,do texto pois muito interesante,fala de gatos eu como adoro gatos,é uma tentação o pior vai ser uma leitura comprida de 600 páginas! muita coisa,o tempo não chega para tudo,vai se esticando!
Beijinho amiga fica bem com amizade Lisa

Manuela disse...

Obrigado pela sugestão de leitura, pois deu-me uma ideia para oferecer neste Natal ao meu filho.
Ele gosta de tudo do Japão e de gatos também.
E a história parece interessante.
Beijinho
Manuela

suruka disse...

Ora ao som bem portugues de ISABEL
SILVESTRE
Uma sugestão mais uma.

bjs

maresia_mar disse...

olá
eu adoro ler e pela tua descrição o livro deve ser fantástico, já pus na minha lista de próxima compra de livros

Beijos

Peter disse...

Estás a tentar-me, mas o livro é tão grande ...
Sou um "comprador de livros compulsivo", pois não tenho tempo dos ler. Mas vou comprando-os, porque depois desaparecem e assim tenho-os e posso lê-los. Se não os ler todos, paciência.

Calcula que ando a ler, desde Setembro, um livro que um dos meus filhos me ofereceu de prenda de anos:
John Darnton, "O pecado de Darwin", 4ªed, "Casa das letras.

P.S. - Obrigado por teres dado seguimento ao convite.

Betty Branco Martins disse...

Olá Papoila





__________vim conhecer







este teu_____"espaço"




que convida a ficar-estar e







_______________voltar:))





se não te importares voltarei:))





beijO

Lilian Haber disse...

Profundo esse blog! Abs.

su disse...

Já tinha "deitado" o olho a este livro...o que comprova que em breve fará parte da minha pequena biblioteca! :)

Sereia Azul* disse...

Ora aqui está uma boa sugestão, mas 600 páginas???!!!!! Talvez nas férias de Verão...Para já ficou a curiosidade e a vontade de o tocar....que já é um começo.

Um abraço de brisa marinha

Sereia Azul*

Paulo Sempre disse...

Hoje levei a minha "avante": passei por aqui.
Nesta conformidade, vou ler o livro.
Paulo