sábado, julho 19, 2008

O jardim dos olhos teus...

Sonho com teu olhar carinhoso,
com o jardim de teus olhos
onde é eterna a minha morada.
Quero escutar tua voz,
acariciar-te com a minha,
perder meus dedos no bosque
por baixo do teu cabelo.
As pétalas que desfolhas
não são da flor que vejo,
seja qual for que desfolhes
continuo a querer-te sem pejo.
A ponte que me faz chegar
a teu doce coração
não a consigo encontrar
mas é o mais belo lugar
que guardas aí no teu peito.

PARA TI UM BEIJO MEU!
BEIJOS!!!

17 comentários:

tempoparaamar disse...

As pontes que nos levam ao coração, e que nem sempre encontramos.Beijinhos e bom Domingo.Salomé

su disse...

A Natureza como ponte metaforizada que leva ao coração do ser amado. Desta forma, a plenitude tanta do sentimento quanto do mesmo ser referido.

Doce e agradável presente afectivo. :))

Um beijinho grande aqui da Teia.

Sophiamar disse...

A ponte encarregar-se-á de se fazer encontrar porque quem assim ama tem direito ao coração do amado.

Belo poema, Papoila!

Beijinhos

Jofre Alves disse...

Sempre um assumido prazer passar por este excelente blogue para ler e apreciar esta lindíssima poesia, de fina sensibilidade e grande qualidade. Boa semana com tudo de bom.

Menina do Rio disse...

Certamente encontrarás a ponte em tão belo jardim...

Tem uma feliz semana querida!

Meu beijo

Gui disse...

Não desistas minha amiga, porqur se aponte existe tu hás-de encontrá-la. Basta que insistas em procurar. Desculpa a minha ausência mas não tenho sido muito assíduo ao PC.

rendadebilros disse...

às vezes, para se encontrar a ponte, damos muitas voltas, mas, como a ponte não sai do lugar, um dia acabamos por dar com ela...e, se a quisermos atrvessar...

( Na Vagueira, passei um mês há meia dúzia de anos... a praia ali mesmo e uma varanda sobre o mar... )
Beijos.

rendadebilros disse...

Os dias de nevoeiro ... ou de ventinho fresco enganador... dão esses resultadões: escaldões!

tulipa disse...

Amiga
Hoje, ao fim de um dia particularmente triste, abeiro-me da janela, neste momento e olhando a lua, as palavras sairam:

Esta noite a lua
chama por mim
Ela sabe como eu gosto
Quando está
em lua cheia
O seu brilho, o luar
Enfeitiçam-me.
Intensamente.
Despertam os desejos
Em mil carícias
Num ritual inebriante
Em que os meus lábios
Chamam por ti...

Beijinhos

Manuela disse...

Amiga Papoila, como está muito calor, para refrescar o meu blog, decidi colocar o teu em destaque esta semana.
Espero que não te importes.
Beijinhos

Manuela

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema muito doce e sensível que encanta.
Delicioso o conjugar de palavras que fluem ternamente de si.
Excelente, amiga.
Gostei muito.
Bj amigos de estima, respeito e consideração imensa.

pena

É uma pessoa fantástica.
OBRIGADO pela sua maizade sincera.

Luisa disse...

"o jardim dos teus olhos". Gosto muito desta imagem neste indo poema.

O Guardião disse...

Falta apenas atravessar a ponte...
Cumps

Å®t Øf £övë disse...

Papoila,
Fiquei muito sensibilizado ao ler estas tuas palavras cheias de saudade, e sentires.
Beijinhos.

Ana Martins disse...

Belissimo poema.
Parabéns.

Duarte disse...

Que belos sonhos os teus!!!
Oxalá encontres a ponte...

Gostei

Reconhecido

tibeu disse...

A ponte é uma pasagem para a outra margem. Vais encontrar essa bendita ponte.
Beijinho de muita amizade