quarta-feira, julho 23, 2008

... o meu perfume de infância...

Eu tenho um perfume de infância… Toda a gente deveria ter o seu... O “meu”, não sei de onde vem… levemente almiscarado parece ser de uma árvore … Esses perfumes deviam ser vendidos em frasquinhos… por mim, compraria litros da essência do “meu”… Se alguém já passou pele a experiência de sentir o “seu” cheiro de infância deve saber do que estou a falar... deve saber que o aroma é arrebatador… O perfume conduz-nos de olhos fechados… fazemos uma viagem aos lugares encantados do nosso passado… Encontrei o “meu” há uns anos atrás… numa ruazinha calma do Jardim do Palácio de Cristal cheio de árvores centenárias... vou lá só para recordar–te porque é o teu perfume… O cheiro de infância apanha-nos de surpresa e é muito rápido quando decide manifestar-se… devemos estar sempre atentos… já me aconteceu reencontrar o “meu” em lugares completamente inusitados… Há dias, arrebatou-me em pleno centro comercial... Fazia compras distraída mas ele estava lá para me surpreender... as horas em que se manifesta e aparece também variam…tanto faz de manhã… de tarde… ou de noite… O que mais importa é estar preparado para o receber… O cheiro de cada um pode ser de árvore, como no meu caso, de flor, de bolo, de terra, de vento, de brisa, de bola, de balão, de pião, de campo, de casa, pode ser de qualquer coisa, mas todos precisamos ter um... Se ainda não encontraram o vosso, sugiro que o procurem...

BEIJO MEU PARA TI!
BEIJOS!!

20 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Papoila,
Achei este texto muito interessante, porque nunca tinha visto a coisa nessa perspectiva. Na verdade eu ainda não encontrei o meu cheiro de infância, mas há outros cheiros que por vezes encontro, e em que a sensação é tal e qual como tu a descreves. É arrebatador, surpreendente, surge em qualquer lugar, e em qualquer altura.
Beijinhos.

Sophiamar disse...

O meu perfume de infância anda sempre comigo. Foi, é o cheiro da alfazema. É um cheiro inebriante, surpreendente porque sendo um perfume rural não há citadino que não goste dele, não tem tempo, nem hora para aparecer.É assim como que a minha segunda pele.

Beijinhos

O Guardião disse...

Talvez por estar desatento nunca fixei nenhum perfume em particular, embora me detenha, ou seja mais sensível a uns quantos. Curiosamente é na cozinha que o olfacto mais falta me faz, e aí garanto que costuma ser apurado, porque não tenho por costume provar a comida - não consigo comer coisas demasiado quentes.
Cumps

mundo azul disse...

...cheirinho de infância! Ainda não havia pensado nisso... Vou procurar o meu!

Bonito o seu texto!

Beijos de luz...

su disse...

Engraçado teres falado nisso...tenho o meu...penso que é uma colónia qualquer de bebé...mas ainda não a encontrei...a às vezes sou assaltada por esse aroma. E já tinha pensado nisso...porque de cada vez que o sinto no ar...sinto uma felicidade extrema, uma saudade inesperada de qualquer coisa que nem sei bem o que seja...

Há outro também que me desperta...por mais estranho que pareça...é o cheiro de cal e de paredes acabadas de pintar...desde bebé estou habituada a andar sempre a mudar de casa, de lugar, os meus pais pareciam uns saltimbancos e lembro-me perfeitamente de quando vim morar para a margem sul, para uns prédios novos, o cheiro era surpreendentemente esse...engraçado como os sentidos podem mexer assim tanto connosco...
Depois há uma árvore que tem umas flores cor-de-rosa que cheiram a pudim! Havia uma enorme no caminho que eu fazia de casa para a escola primária...e eu parava ali sempre para roubar uma flor e cheirava cheirava cheirava, com a flor, colada pela inspiração, ao meu nariz! Agora, a minha mãe tem uma árvore dessas a crescer no jardim dela e este ano deu flores pela primeira vez...imagina a minha agradável surpresa!!! :)))))

Pena disse...

Admirável e Terna Amiga:
Sabe, adoro o seu perfume de infância.
Jorra de si um encanto que surpreende pela maravilha e delicia.
Esse perfume cheira a ternura, carinho e deslumbre.
Perfume-se e continue a perfumar-se, pois, permanecerá eternamente presente em todas as pessoas que nutrem muita estima, respeito e adoração por essa atitude sensacional e bela.
Conheço-a há muito tempo e nunca a vi triste.
Será desse "perfume" de pessoa mágica como concebe maravilhosos Posts que fascinam?
Sublime "perfume".
Revela e expressa tanta pureza e ternura, que só os olhos maldosos podem fazer maldade à ternura como me dirigo a si..
Notável!
Beijinhos puros de amizade, respeito e estima

pena

Um Post incrível de ternura.
A sua ternura, amiga!

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Perfume... um dos melhores livros que li!


e perfume de infância...;) tenho tantos e tão bons!

Tenho da cozinha cor-de-laranja da avó do Alentejo, tenho de madeira lascada clarinha que a brincar fazia de frango, de relva acabada de cortar, de torrada, de gelado de chocolate, de sal do amr.....


Como é boa e saudosa a infãncia...


:D


beijinhossss

Ácido Cloridrix HCL disse...

MMmmmm, que delicia o perfume e os cheiros de infancia,,, acho que os meus cheiram a pãozinho fresco e a bolos no forno,,, my God, q bom lembrar!!!
Já agora convido-te a participares no nosso pequeno inquérito,,,, Estarás de acordo com o casamento ou adopção entre homossexuais??? Agradecemos a tua opinião, se a quiseres dar em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/07/inqurito-de-opinio-casamento-entre.html . Agradecimentos antecipados, HCL

Agulheta disse...

Querida amiga. Adorei o texto,e falar em cheiros eu já há muito tempo encontrei o meu,me assalta a cada momento,junto com as saudades aí está ele,seja em que lugar for. Este lugar da foto é muito lembrado por mim,aí passei de mão dada com os sonhos e o amor,tem lugares lindos,bem hajas pela partilha de momento.
Agradeço a visita,agora estou por aqui mas vou novamente.
beijinho BFS Lisa

Gui disse...

É muito bom quando recuperamos os cheiros da nossa infância. Graças a Deus eu nunca perdi os meus. Um beijo minha querida amiga e obrigado pela tua amizade.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Ahhhhhhh adoro a musica escolhida!

delta disse...

Passei para deixar um beijinho e dizer que vou de férias :)

O resto da história está no meu Rascunhos

:)

Tudo de bom

António disse...

Papoila querida!

Um bom texto que me deixou a pensar...
E sabes que o odor que mais me marcou foi o da benzina com que a minha mãe tirava as nódoas da roupa?
Se calhar foi por isso que segui engenharia Química...ah ah ah

Beijinhos

Menina do Rio disse...

Trago os meus guardados em frasquinhos azuis...

Lindo texto!

Um beijinho querida e bom final de semana

Jofre de Lima Monteiro Alves disse...

A época mais feliz da vida duma pessoa, pois a inocência é uma felicidade e uma virtude. Admirável o texto, uma delicia que se lê com agrado e prazer. Boa semana com tudo de bom.

Alice Matos disse...

Papoila...
Perdoa ter entrado assim... sem pedir licença...
Mas ainda bem que o fiz... fiquei encantada com o teu canto... É lindo... parabéns...
Também eu conheço o meu perfume de infância... que reconheço sempre que o encontro numa mercearia, onde acompanhava a minha mãe nas compras... na feira... na escola... por baixo de uma árvore...
Depois há o cheiro dos que amamos... a mãe, o pai, a filha... e o cheiro dos que já partiram... e que recordamos com saudade...
Beijo grande para ti...

Sophiamar disse...

Papoila, passei para te deixar um beijinho e desejar um bom domingo.
Este teu blog irradia um perfume peculiar.

Abração

APRC disse...

Querida: tenho perfumes de infância sim
e tu sabes de onde...
da terra amada de África, ao alvorecer, no pôr do sol.... depois de uma chuvada, o cheiro inebriante daquela terra, é o meu cheiro....
e há outro, que já ensino a minha neta Mariana: a comer mangas apanhadas da mangueira e chupá-las até ao caroço. Ficas toda suja, lambuzada, mas sentes o sabor do sol.... As mangas da Mariana são do supermercado, mas ela adora-as, e o melhor é chupar o caroço.... ela ainda não provou isso debaixo da mangueira...um dia será....
beijos amiga.
Foi bom partilhar isto contigo
Bigada

Nana Lopes disse...

Eu gostei muito desse assunto do teu blog que já não visitava há algum tempo, mas é que estive viajando...
Eu tenho o meu perfume de infância e ele fica bem guardadinho e quando eu sinto esses "cheirinhos" em algum lugar despertam minha memória... um deles é ligado à minha avó que já morreu e que fazi o melhor pão com manteiga do mundo... sinto esse cheiro e me vejo com ela...

Muitos beijos

Nana Lopes

demim disse...

O meu é o cheiro de sopa (mas não qualquer sopa) e empadão de arroz do meu Jardim de Infância. Mas mais que cheiro, que agora que penso nisso até encontro vários, tenho um estado de espírito. Lembro-me bem da minha infância, muito embora tudo faça para a esquecer. Bjs da exmiau