terça-feira, março 03, 2009

cantarolar...

Há cantigas que nos invadem logo de manhã e que sem sabermos porquê não nos saem do ouvido durante todo o dia. Hoje de manhã ao passar junto ao mar corria um vento fresco e lembrei-me da minha cantiga preferida da infância que todo o dia trauteei. Cantava-a no Jardim Escola João de Deus que frequentei desde os três anos de idade e se tornou para mim uma referência e uma recordação doce. Vou partilhá-la aqui convosco.

O VENTO

Já o vento me leva ao ar
Coradinha da cor da romã
Pé aqui… pé ali… pé além…
Dá-me um abraço meu lindo bem…

Ò que praias tão lindas tão belas
Onde eu ia passear
Sentadinha na areia sozinha
Apanhar conchinhas do mar…

E vocês lembram-se de alguma? Querem partilhar aqui connosco?

BEIJO MEU PARA TI!

BEIJOS!!

15 comentários:

Agulheta disse...

Querida amiga! Como foi criada em casa com a avó,só me lembro (eu foi ao jardim celeste giroflé giroflá o que foste lá fazer) e por aí adiante,era mais ou menos isto,anda tudo com saudades? deve ser a idade...eheheh?
Beijinho:-) Lisa

Ana Martins disse...

Querida amiga,
é tão bom acordar com essas canções de infância no ouvido e conseguir cantarola-las de principio a fim!

Eu lembro-me de uma que sempre cantei para os meus filhos.

Pintinho, pintinho
Pintinho piu,
Comeu a sopa toda
E não fugiu
A dona galinha
Ficou contente
Pegou no pintinho
E deu presente!

Pintinho, pintinho
Pintinho piu,
Subiu uma árvore
Depois caiu
A dona galinha
Ficou zangada
Pegou no pintinho
E deu palmada!

Beijinhos,
Ana Martins

des-encantos disse...

...gostei de andar por aqui por este campo de papoilas..

rendadebilros disse...

Acho que , a certa altura da vida, começamos a olhar mais vezes para esse mundo da infância ... com uma saudade!!!...
Numa colónia de férias qualquer onde estive, também se cantavam umas quadras parecidas...
Eu estou como a Agulheta, só me lembro das que ela recordou , mais do papagaio louro, das pombinhas da Catrina...
Beijos.

helia disse...

Lembro-me de algumas canções do meu tempo longínquo da minha infância, cantadas no recreio da escola:
"Olha a triste viuvinha
Que anda na roda a chorar..."
ou
"Fui ao Jardim da Celeste
Gira o Flé, flé, flá..."

Lembro-me também de algumas cancões que a minha filha aprendia no Jardim Escola João de Deus, onde também esteve até aos 6 anos , data em que foi para a Escola Primária, e que em casa cantarolava comigo:
"Ratinho foi ao baile
De cartola e jaquetão
Sapato de bico fino
E uma das luvas na mâo..."

E muitas outras ...

Secreta disse...

Adoro musica , e são tantas as que me fazem companhia durante dias inteiros que ... fica dificil mencionar uma...
Mas , aqui vai :

"Pó-de-arroz
Na face das pequenas
Será beleza apenas
Só uma corzinha

Sim, pó-de-arroz
Rosa é, mulher o pôs
E um homem vai nas cenas
Eva e Adão outra vez

É como alindar um embrulho
Arroz com gorgulho talvez

Pó-de-arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que me encanta
Com pó-de-arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal quando chegas
Com todo o teu arroz
Todo o teu arroz

Pó-de-arroz
Tens hoje só p'ra mim
Pós de pirlim-pim-pim
E és um arroz-doce

Sim, pode ser
Um canto de sereia
Serei a tua teia
E tu serás o meu algoz

Mas quando te vais alindar
Alindada vens dar-me o arroz..."

:)

helia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cata-Vento disse...

Recordar a infância é cada vez mais um prazer. E esta canção, que eu não conhecia, também teria a minha preferida. Como sabes, o mar faz parte do meu passado, do meu presente e do meu futuro.
Na cidade, na "escolinha da Menina Margarida", cantava-se muito. Lembro-me de uma que era assim:

" Alecrim, alecrim
aos molhos
Por causa de ti,
choram os meus olhos.

Ó meu amor quem
te disse a ti
Que a flor do monte
era o alecrim?"

Foi bom ter recordado uma canção da meninice e dos bailinhos de roda.

Beijinhos

Bem-hajas!

o escriba disse...

Que bem me fez vir aqui e lembrar de uma cantiguinha da qual só tinha na memória os três últimos versos!
As coisas que a nossa memória perde com o passar dos anos!

Obrigada!

bjs
Esperança

Pena disse...

Um poema mucical de fascinar. Como tudo aqui.
O vento é poderoso. Sensível, versajado por si e que cantarola com ternura, pureza e beleza.
Excelente, como já nos habituou.
Adorei! Majestoso de encanto.
Beijinhos amigos de imenso respeito e estima...
Sempre a admirá-la

pena

RB disse...

Que bom lembrar essas cantigas!!!

Lembro-me de uma cantiga de roda, com uma criança no meio, de olhos tapados e as outras em volta. Era mais ou menos assim:

Chora Mariquinhas, chora
Chora porque não tens um limão
Anda na roda
Procura o limão, Mariquinhas
Que ele aqui não está
Que ele aqui não está
Está no meio da roda
A dançar o solidó
Quem tem?

É verdade e esta?

Ah, ah, ah, minha machadinha!
Quem te pôs a mão sabendo que és minha?
Sabendo que és minha, eu também sou tua.
Salta machadinha lá para o meio da rua!
O meu par já eu sei quem é.
É um rapazinho chamado José.
Chamado José, chamado João.
É o rapazinho do meu coração.

Ah que saudades!
Obrigada por me fazeres lembrar este tempo tão feliz da minha vida

RB

Iscte 72-77 disse...

Nas que boa ideia a tua... e como já venho atrasada e me lembro de quase todas aqui fica uma outra que eu cantava no recreio em "comboio"

Que linda falua,
que lá vem, lá vem,
é uma falua,
que vem de Belém.

Eu peço ao Senhor Barqueiro
que me deixe passar,
tenho filhos pequeninos
não os posso sustentar.

Passará, não passará,
algum deles ficará,
se não for a mãe à frente,
é o filho lá detrás....

Obg pela partilha

Å®t Øf £övë disse...

Papoila,
Há coisas assim que se gravam na nossa memória e que nunca mais se esquecem.
Bjo.

Zé Povinho disse...

Faz bem recordar bons momentos. Nunca fui muito dado ao canto, a voz não ajudava, mas sempre gostei de ouvir, e agora foi bom recordar algumas cantigas da minha infância, embora a do post seja uma das que não conhecia.
Bom fim-de-semana
Abraço do Zé

Pico minha ilha disse...

Faz bem recordar pequenos traços da infância.Recordo o lençinho que vai na mão quando quer cai no chão.Beijinhos