sexta-feira, outubro 09, 2009

regresso a mim...

Respira…não permitas que nada interrompa os teus sonhos… não deixes que o ruído interrompa a calma dos pensamentos… deixa que o vento se entranhe no corpo… deixa de lado as preocupações e o tic tac do relógio…por um bom momento não o permitas avançar, ou pelo menos, que não te dês conta se mesmo assim, o faz… saudade de quando não existia pressa… de quando os meus olhos se abriam só porque o sono fora suficiente… quando caminhava sem rumo fixo só pelo prazer de ir a qualquer lado sem nada de especial… saudade da calma… de viver sem pressa… de nada mais desejar que o que tinha no momento… pensar que havia coisas para além do que os meus olhos podiam ver mas que não se chamava desconhecido... eram fruto da minha imaginação… Em que momento crescer foi sinónimo de perder? Em que momento realizar os sonhos foi começar a encurtar as fantasias? Muitas vezes, como agora, tenho saudades de mim e várias vezes em sonhos, vejo-me no passado, como sou agora mas em lugares que já vivi e pessoas que ficaram para trás no caminho a ver como tudo continua igual excepto eu…ver-me de novo sentada numa carteira a sentir a eternidade do tempo… ou a colocar a agulha de um gira-discos com uma canção que me faz brincar e dançar sem parar a tarde inteira… sem complicações… Quando mais esgotada estou, quando mais depressa correm os dias, quando perco os sinais que me recordam quem sou, preciso respirar, sonhar, pensar, ficar bem quieta como se o tempo não avançasse para reviver um pouco a forma que vivi em menina… e volto a ver-me a enrolar um xaile da minha mãe a fazer de saia para girar e girar com a música… subir as escadas de casa a correr para chegar à torre do meu castelo… o meu quarto… sair em dias chuvosos simplesmente para molhar-me a sonhar que os charcos eram grandes ondas de mar que levavam a barca que me levaria pelo mundo… aquela folha de papel dobrada em forma de barquinho que se desfazia…. que importava… isso fazia-me rir e gritar de emoção…voltar a ver-me menina… que bem me faz de vez em quando…
BEIJO MEU PARA TI!
BEIJOS!!

17 comentários:

Agulheta disse...

Olá Querida. Lindíssimo texto,daqueles que nos lembra os sonhos alguns já distantes,mas tão presentes.
Beijinho e bfs

Patricia Barros disse...

As palavras de amizade
e conforto podem ser curtas
e sucintas, mas o seu eco
é infindável."
(Madre Teresa de Calcutá)

Beijinhos e Bom
Fim de Semana...

Sonia Schmorantz disse...

Que bom regressar a si, nossos olhos percorrem milhões de imagens, e muitas vezes, no meio de tudo isso, somos seres invisíveis para nós mesmas...
beijos, lindo final de semana

tulipa disse...

HOJE faço uma homenagem à minha sobrinha Tânia do Bookcrossing, falecida em Março passado:

Minha querida, um “grande amigo” recente, também da blogosfera, mas já real, em Abril passado, já depois da tua partida para sempre da minha vida, fez o percurso “Caminhos de Santiago” ( conheceu-te através de mim, do meu sofrimento, da partilha de emoções) e, juntamente com os seus companheiros de caminhada rezaram por ti e fizeram uma oferta pela tua alma, deixando no local um símbolo e umas florzinhas do campo.
LINDO, não é?
Aqui estão duas imagens desse “momento”.
Faço-te homenagem nos meus dois blogues, neste "teu dia".

helia disse...

É tão bom recordar o tempo em que era menina, embora isso me dê muitas saudades,mas é sempre com um sorriso que me lembro desse tempo distante, um tempo muito feliz.

Ana Martins disse...

Olá Papoila,
recordar com uma saudade saudavel, é bom e faz bem, é como se uma lufada de ar fresco nos invada e nos leve mesmo que por instantes à nossa meninice.

Lindo texto!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Chris disse...

É sempre bom regressar ao cais que é o nosso. Uma delícia o teu texto, parabéns.
Bjs
Chris

Lilá(s) disse...

Li e voltei a ler, porque adorei!
Bjs

mfc disse...

um post tão bem escrito que não pode deixar de tocar quem o ler.
Quem dera que pudéssemos voltar atrás... nem que fosse por algum tempo!
Mas vamos viver tudo sem pressas.

Å®t Øf £övë disse...

Papoila,
Infelizmente o tempo não volta para trás, mas já é bom quando as recordações da infância são boas e coloridas.
Bjo.

M@ disse...

Estás Melancólica Papoilinha?
Lindissimo texto.
Querida amiga vim visitar o teu sempre fresco blog.
Espero que tudo esteja bem.
Uma boa semana
Manuela

M@ disse...

Ora bem isto não é nenhuma campanha da Manuela a outra mas esta Manuela escreveu um pequeno texto no blog A minha Aldeia, e é sobre comida ou seja sobre como se come na minha aldeia.
Só que para ganhar preciso dos vossos comentários lá por debaixo do pequeno texto.
Será pedir muito, vocês irem lá deixar um comentáriozinho?
Espero por vocês.
Abraço grande da Manuela.

Meg disse...

Papoila,

Muitas vezes, como agora, tenho saudades de mim...

Ai tantas vezes, minha amiga... e como sonhar ainda é póssível, recuemos no tempo.

Um beijinho para ti

Helena Teixeira disse...

Olá Papoila!
Texto muito ternurento e melancólico.Mas gostei muito.E do resto do blogue também.
Grata pela sua visita à Aldeia.
Para votar,é so voltar e ver a barra lateral de 28 a 31 de Outubro.
Jocas gordas
Lena
da Aldeia

Léo Metallica disse...

Seu texto foi uma aula de calmaria. Enquanto fui lendo, fui me relaxando, como que se suas palavras fossem um exercício mental.

Acho que a Papoila do nome do teu blog entorpece os sentidos, e acalma a mente.

Direto do Brasil.
Beijos.

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Vou ser honesto consigo.
Não sei que dizer, sabe, linda amiga...?
É tudo aqui tão doce, puro e belo.
Terno.
Escreve deliciosamente, com uma música de fundo tão deslumbrante que causa arrepios de carinho.
Bem-Haja, fabulosa amiga de sonho.
Com um respeito e estima do tamanho do mundo.
É linda.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua preciosa amizade.
É um Ser Humano admirável.
Bem-Haja, genial amiga criativa e sensível.
Adorei.

Peter disse...

Belíssimo texto no qual me revejo.