domingo, fevereiro 24, 2013

A Mudança!


Cada um atravessa várias etapas durante a sua vida, abre uma fecha outra e assim nos vamos formando e transformando. Nessas coisas que vão sucedendo há factores que de alguma forma nos afectam, mas seremos nós “presas” das circunstâncias e dos acontecimentos?
Somos nós que criamos muito do que nos acontece, por não saber fechar etapas, deixamos abertas portas do passado que só servem para permitir que os fantasmas entrem e nos afectem no presente.
  Fazemo-nos de desentendidos por não termos a coragem de enfrentar o que nos acontece ou o que queremos de verdade. Acobardamo-nos perante o destino e perdemos a identidade com a pressão do medo ao desconhecido. Somos o que somos e o que nos acontece, devemos aprender a lidar com isso para poder SER.
Sem deixar de lado que, certamente, há muitas circunstâncias da vida geradas por agentes externos, algumas bastante traumáticas e dolorosas e até improváveis, trata-se de podermos ante o que acontece saber actuar conforme o que somos e queremos. Não perder nunca o objectivo principal do ser e do querer. Podemos preparar e mudar o que nos rodeia.
Ante um mundo que está a perder o rumo, onde a verdade e a luz pura do ser se estão a degenerar, onde tudo está a perder valor, em que os compromissos, os sentimentos se vêm manipulados pela vergonha e o medo, ante esta perda de essência, temos de ser nós a salvar essas circunstâncias.
Não se trata de competir ou ser o melhor, de ter beleza e juventude eternas, trata-se de poder viver e conviver com o resto do universo dele sendo parte integrante. Sentir-se parte do infinito e lutar por ele.
Devemos resgatar a essência e ter coragem de ser audazes para poder salvar o que nos rodeia, sem ser “presa” do destino nem de casualidades que nos condenam, para poder ter LIBERDADE verdadeira e pura, ou seja poder eleger e decidir sem pressões ou alienações aquilo que desejamos.
Sou eu a dona do meu destino, comandante da minha alma e general em todas as minhas batalhas…
Para me salvar, devo ser eu a gerir a maior parte do que me acontece na vida e não deixá-la à deriva ou abandoná-la à sorte. Aceito o que me acontece, e sobre isso construo o que quero daí para a frente.
É o convite à mudança, é a possibilidade de poder melhorar...
BEIJO MEU PARA TI!
 BEIJOS!!
 


8 comentários:

Ana S. disse...

Olá Papoila!
Bom texto!
A liberdade é feita das nossas escolhas sendo elas boas ou más. Claro que nem sempre acertamos mas isso faz parte da vida, errar e acertar é humano. Como donos do nosso destino, temos de fazer os possíveis para aproveitar cada momento.
Beijos

Jorge P.G disse...

Olá, Papoila!

Gostei do texto que representa a consciencialização de que nada é eterno, por melhor que seja para nós, e de que a mudança necessária é um desafio ao nosso equilíbrio que é preciso vencer.
Somos mesmo os capitães da nossa barca e temos o dever de a levar a bom porto.

Um abraço amigo.

elvira carvalho disse...

Um texto a merecer uma séria reflexão.
Só temos uma vida, há que aprender a vivê-la de modo a valer a pena.
Um abraço e uma boa semana

Pérola disse...

E a mudança é inevitável e tantas vezes necessárias.

Bela reflexão!

Beijinho

José Lopes disse...

Somos donos da nossa vida mas não do nosso destino, embora nos caiba lutar pelo nosso futuro.
Cumps

nylda disse...

Olá Papoila,
A vida é uma constante mudança e é com a mudança que vamos aprendendo a construir e a moldar as nossas vidas...
Uma feliz semana com tudo de bom.
Beijinhos

Jorge P.G disse...

Passei e deixo o meu abraço costumeiro.

Lilá(s) disse...

Muito bom texto querida amiga! a mudança é tantas vezes necessária, temos que estar abertos a ela.
Bjs