terça-feira, maio 16, 2006

O Sol mais íntimo...


Se eu me pudesse ir diluindo
em muitas páginas
de um mesmo poema...
Se os teus gestos incertos
lhes despissem as palavras...

Mas como o som
que cresce em nós…
Como os silêncios
que juntos respiramos,
assim são fortes as raízes...

Ai, se as soubesse arrancar,
e tomar a iniciativa do Sol!
Mas há sempre esta distância
que transborda e se entorna,
e vai sepultar raízes
nem eu sei onde!

Lateja-me no peito
esta vontade…
Ai, esta vontade,
esta qualquer coisa,
que não cabe no peito,
de ter de dizer
- Amo-te! -

Porque de mim desterrei
rendas velhas,
névoas e bolores,
eu te digo,
eu te peço...
Vem comigo,
tornar o Sol mais íntimo...
BEIJO GRANDE

2 comentários:

Luís Monteiro da Cunha disse...

Olá Maria

até que enfim, sei que este é o teu novo cantinho
já tinha ido ao do batráquio e reparei que ias abandoná-lo
mas não deixaste a morada nova.

No entanto, não sei como, já estive aqui antes, mas não comentei pois não sabia de quem era, apenas desconfiei...lol

acreditas que pensei em ti nestas férias?
A sério, fotografei um campo de papoilas lindas e como é óbvio, pensei em mandar-tas... queres?


Gostei deste teu divagar poético
é um prazer ler-te e acompanhar, apesar de não ter a assiduidade que me mereces...

É verdade, sábado vou á Lello, para a apresentação de um livro de um autor amigo, se pudesses aparecer seria muito bom conhecer-te...


boa semana

beijinho
Luís

Ana Maria disse...

O luís enganou-te o evento não foi no sábado mas sim da sexta, espero que não tenhas lá ido enganada?!
O Sol é mais intimo quando aquece como corpo.

um jinho