sexta-feira, maio 25, 2007

Prémio Blog com Tomates...e Voar...





Esta semana foi pródiga em surpresas e prendas de amigos...
O meu amigo Oscar Luiz plantou um pé de tomateiro no campo… Foi-me comunicado por brit com que tinha dado frutos e A Papoila tinha sido agraciada com o prémio “Blog com Tomates”. Enorme surpresa! Depois de melhor me informar fiquei envaidecida e confesso que o campo de papoilas rubras enriqueceu-se com este par de tomates maduros... Foi uma honra que agradeço porque segundo a autora da iniciativa, é assim definido: Considero um Blog com Tomates aquele que luta pelos direitos fundamentais do ser humano. Vejam aqui. Agora devo transplantar cinco pés para que floresçam e frutifiquem tomates noutros campos... noutras casas… noutros domínios...


Ana Scorpio






A Nina tem 10 anos... na passada quinta-feira ofereceu-me este poema... para se assim entendesse o colocar no campo... Aqui está... Obrigada Nina! Já sei que tu própria vais criar o teu blog. Aqui terás uma leitora atenta.







BEIJO MEU PARA TI!
BEIJOS!

21 comentários:

Poeta da Lua disse...

parabéns, papoila, pelo prémio "tomates"!
eu gostaria de deixar para você um poema que fiz tempos atrás... fala do meu brasil, e da hitoria dos negros trazidos para cá...
um abraço e um sorriso!
NEGROS BRASIL DE MESTIÇOS...
Quando será que tudo isso começou?

A partir do século xv uma dura e cruel

forma de escravidão veio em navios negreiros...

Os negros aqui chegaram, todos traficados

e trasladados como peças de mercadorias da África.

Alguns negros, porém, reis até foram.



Mas o que foi que aconteceu com os negros?

Oh foram trazidos à força, amarrados e açoitados

de lá pelos europeus.

Nas mãos, a riqueza que traziam

era a força de suas próprias mãos maltratadas

nos trabalhos forçados.

E ainda na alma, a riqueza cultural

que hoje aflora em todos os mulatos e retintos,

os negros deste Brasil de hoje.



Originaram-se de quem os mestiços?

Dos negros dos índios e dos brancos.

O Brasil formou-se a maior parte de muitos negros.

O que nos leva a crer que eram escravos

não foi a cor negra, pois os índios, antes deles,

também já foram e não eram negros.

Era, sobretudo, a desigualdade que os distinguia

dos brancos efetivamente: o trabalho forçado,

os trapos de roupas e os pés descalços.

Mas ainda a separação do convívio social

com os brancos.

Ô os negros eram presos nas senzalas.



O Brasil não seria Brasil?

Se não fosse a escravidão faltariam negros.

Faltaria, pois, a música negra e a cultura negra,

a comida negra e essa tal feijoada inventada

pelos negros.

Olha só essa nega caminhando

em passos de congado

vendendo doce de cocada:

Êh ôôô... essa é a negra de tabuleiro

vendendo as cocadas para a liberdade alcançar

e ascensão econômica.

Apesar da, desde muito, larga desigualdade social

e econômica conseqüente desse Brasil de escravidão.

O Brasil não seria hoje este Brasil, Brasil,

Rico em cultura e beleza de descendência africana.





ELS - poeta da lua.

História: Escravidão

19/04/2

Poeta da Lua disse...

ufa! custei postar isto... por que será que ocorre sempre erro quando quero te postar algo?!
vezes já te visitei... já sabe o fim... ops. beijos
um abraço e um sorriso!

Entre linhas disse...

O poema desta criança fez-me recordar o tão famoso Fernão Capelo Gaivota..."Quem não gostava de um dia como eu,voar por aí e cgegar ao céu".
É espetactular a sabedoria desta criança.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Carlos Serra disse...

Cá estou eu para o habitual abraço índico. E parabéns pelo prémio!Ah..E pela gentil referência ao meu canto.

J.G.Sineiro disse...

Parabéns pelos tomates. Sobretudo agora que se caminha para o verão, as saladas são óptimas e os tomates acompanham bem... Eheheheh!

Claro que brinco porque a Papoila sabe o que eu penso destas "correntes", mas pronto, as pessoas são simpáticas, prossigamos com a brincadeira, não é?

Quanto à Nina, os meus parabéns, menina. Tens sensibilidade, o que é muito importante quando se quer escrever poesia.
Só te peço que fujas à rima em "ar" ou em "ão". É que tanta gente já rima assim... que deves procurar sempre ser um pouco diferente, valeu?

Um bjnh. para cada uma de vós, Papoila e Nina.

S.M.R. disse...

A EXPERIÊNCIA DA FINITUDE

Ao longo do pensamento filosófico as categorias finito e infinito instituíram-se como temáticas nem sempre concordantes com os autores.
Assim, no geral definiu-se o finito como tudo aquilo que tende para um fim e derivando daí as características de ser limitado no espaço e no tempo e determinado no conhecimento.
Todos os seres são finitos mas só o homem tem consciência dessa finitude. A partir das experiências contingentes, imperfeitas e temporais dos seus próprios projectos e da experiência da morte e/ou fim das coisas o homem elabora a sua experiência de finitude que contrapõe às suas teses sobre o infinito.
Finito é para a tradição clássica grega um universo pensado e vivido, organizado racionalmente isto é, um cosmos por oposição a caos. A harmonia da forma é procurada em todas as manifestações humanas.
Também Kant nos diz que a razão humana se interessa apenas pelo que se situa neste mundo - os objectos finitos, existentes na natureza são-nos dados na intuição sensível, determinados no espaço e no tempo e pensados pelo entendimento.
O Infinito surge como categoria de valor positivo porque se lhe atribui o princípio e fundamento do real. Nos gregos manifesta-se no Indeterminado “de Anaximandro e no “Bem” de Platão; na tradição judaico - cristã e na oriental confunde-se com Deus nos atributos de eternidade; também na Idade Moderna Descartes coloca o Infinito no cogito por obra de Deus como objectos suprassensíveis - ideia de infinito.
O homem ser finito é sempre abertura para uma transcendência está fora de si, para infinitos que são outras formas de estar, outras utopias.
O homem realiza a experiência da finitude constituindo um núcleo de relação, um horizonte de sentido: natureza, humanidade, Deus.
Deixo-te aqui um cadinho do que escrevi acerca da FINITUDE:-)

Estou na àrea cientifica e Filosofia é uma disciplina obrigatória
obrigada pela visita jinhos
sony:-)
Parabéns pelo prémio:-)

Osc@r Luiz disse...

Papoila, minha amiga,

No mínimo, justiça foi feita.
Há que se reconhecer a alegria e conforto que seu blog traz a muitos corações.
E como diz o nosso amigo Sineiro, contemplado 4 vezes com os tomates do bem, "a brincadeira continua...".
"Corrente" ou não, se for do bem, conte comigo!
Um beijo!

Kalinka disse...

Olá
Celebrei os dons da terra e misturei-me com os sons do mundo sem coisa alguma...fui durante 4 dias de mini-férias para o Alentejo profundo.
Comecei por Estremoz e fui em seguida para Évora e daí em diante.

Pelo kalinka poderás ler sobre o «Même» que recebi:
"Para ser grande, sê inteiro:
nada Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim, em cada lago a LUA toda
Brilha, porque alta vive.
"Ricardo Reis"

Beijinhos.
Bom fim de semana.

Isa&Luis disse...

Olá amiguinha,

Parabéns pelo prémio, bem merecido.

Gostei muito do poema da Nina. Vai longe!

Beijinhos para as duas.

Isa

inespimentel disse...

Uma lufada de coisas boas, uma música belíssima, um poema inspirado de criança e tudo o resto decorado com papoilas, acho que até me cheirou a alecrim...
até o nome, tão bonito... português, feminino, cheio de memórias felizes!
Parabéns

GATO ESCALDADO disse...

Olá Papoila! Parabéns pela "tomatada". O prémio é bem merecido. Gosto muito da nova música que puseste no blog, sou uma grande admiradora da Isabel Silvestre. Um abraço

littledragonblue disse...

Bolas... u mamífero já não pode passar uma semana fora... quando chega anda tudo de tomates no ar...
Um beijinho e votos de um bom fim de semana

MalucaResponsavel disse...

Ola... parabens pelo premio "blog com tomates"... e pelo excelente poema q aqui nos deixas.. kiss

rendadebilros disse...

Parabéns!
Bom fim de semana.

irneh disse...

Um prémio é sempre um prémio. E, se der para fazer salada, melhor...!!
Bom fim de semana.

Meg disse...

Quando me quero sentir transportada a paragens que me deixaram muita saudade, cá venho visitar-te... O verde do fundo e a sensibilidade em tudo o que publicas são uma paz para o espírito. E a VOZ...
Um abraço

rendadebilros disse...

Hoje, por todo o lado por onde andei, papoilas , papoilas e mais papoilas... lindíssimas! lembrei-me de ti.
Um beijo.

ariana disse...

Olá linda =)
Sem dúvida original!
Beijinhos

brisa de palavras disse...

Nunca tal tinha ouvido ..mas parabéns.
Um abraço
brisa de palavras

mary90 disse...

Boa tarde,Papoila.
Já há muito que a vejo por aí mas nunca a vim visitar.
Parabéns pelo blog.
Mas o que muito me fascinou foi este prémio, pois é dos mais interessantes que já vi, até me ri porque as minhas amigas dizem que sou uma mulher de tom... e, no meu blog onde tudo é escrito por mim (fora a poesia), escrevo tudo o que me apetece dizer sem nunca pensar no que os outros vão achar´.
Para aborrecimento de alguns amigos não ponho sêlos de nenhum gênero, mas este prémio é engraçado:)
Parabéns.
Beijocas.
Mary90

António disse...

Querida Papoila!
Parabéns pelos tomates plantados no campo de papoilas.
Se se cruzarem nascem tomoilas?
Ou papates?
ihihihih
A Nina JÁ É uma poetisa.


Beijinhos