domingo, maio 10, 2009

Homo Sapiens

Porque penso tornei-me um ser estranho
à Natureza que me criou a Mãe Terra.
É à volta desta frase já velha… bem velha
que tudo gravita e existe como é, até eu próprio…
O que possa dizer neste momento
traz dependurado de um fio ao pescoço
o talismã de repetições, hábitos de milénios….
Até este falar de mim mesmo,
envolto num bafio de sensaboria
a minha incapacidade de prever o imprevisto...
Porque penso, sou um ser estranho
com propósitos bizarros de auto compreensão...
Como compreender a burla, a pantomina
o meu permanente jogo na realidade
diferente daquilo que aparenta ser…
Porque penso, sou um ser estranho
que deveria ser coerente,
ser o homem que não percebe
as coisas mais simples da vida…
Porque penso sou um ser estranho
que em si pode conter ou não,
todos os sonhos do Mundo…
Porque penso, sou um ser estranho
a quem já só resta uma saída:
acabar resolutamente com o que tem sido
mudar de um momento para o outro
e volta e meia mudar o que sou
para o que deveria ser e não sou…
Agora, já, ou só quando puder
quebrar aquilo que me tem feito ser,
não o que poderia ter sido e não fui
mas forçosamente o que tenho de passar a não ser
quebrar ou apenas abandonar
as contingências que me definem e determinam.
Porque penso, sou um ser estranho…
*****
A querida Ana Martins do blog Ave Sem Asas ofereceu-me este selo. Obrigada amiga!
As regras são: Repassá-lo a 7 blogs que deverão falar do Homo Sapiens e do seu significado. E os meus nomeados são:
PARA TI UM BEIJO MEU!
BEIJOS!!!

15 comentários:

Isamar disse...

Como sabes, gosto muito do que escreves.É um prazer ler e reler os teus textos, poemas, sugestões de leitura...
Parabéns pelo prémio recebido. Com todo o mérito!
Quanto a mim, fico orgulhosa sempre que recebo um desafio vindo de ti que muito estimo.

Em breve, responderei.

Bem-hajas, amiga!

Beijinhos

rendadebilros disse...

Obrigada, papoila... veremos se há inspiração: o selo levo-o já!
Bom domingo!

Menina do Rio disse...

É...Se nos compararmos aos demais seres vivos, definitivamente somos estranhos e com propósitos muito bizarros, visto que os outros seres sabem viver sem os nossos questionamentos! Apenas preocupam-se em viver...

Um beijo pra ti, querida

Ana Martins disse...

Adorei o post Papoila, muito bem conseguido este poema na definição do Homo Sapiens, Parabéns!

Beijinhos,
Ana Martins

Pico minha ilha disse...

Muito bom a maneira como deu seguimento ao desafio.Aceito o mesmo mas só o farei lá para a fim do mês depois de terminar aquilo que ando a fazer, agora estou sem tempo.Beijinhos

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Ser estranho;) boa!


Parabéns!

beijocas

maresia_mar disse...

Olá

já tinha saudades de aqui vir mas ando meio longe da blogosfera.
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
optima escolha
e belo texto,
,
parabens, meus,
,
brisas de luz, deixo,
,
*

Deusa Odoyá disse...

Olá minha amiga Papoila
Um belo texto, e a música tudo de bom.
Parabéns...
Uma semana de muita paz, amor e luz.
Obrigado por sua visita ao meu cantinho.
Beijnhos doces de sua amiga do lado de cá.
Regina Coeli.

Å®t Øf £övë disse...

Papoila,
Parabéns pela forma como definiste o trajecto do Homem ao longo da sua existência, e principalmente naquilo que se está a transformar nos nossos dias.
Bjo.

Iscte 72-77 disse...

Gostei muito do modo como "agarraste" e desenvolveste a questão.
Agradeço o privilégio da tua escolha. A ver vamos como consigo falar sobre a temática.
Para já levo o selo.
Hoje falei sobre uma das mais belas e harmoniosas praças de Portugal...queres espreitar?

tulipa disse...

Realmente somos seres estranhos...
um abraço
tulipa

O Profeta disse...

Sublime...


Doce beijo

O Guardião disse...

Todos gostávamos de ser um pouco melhor do que somos, e alguns fazem por isso. Pobre de quem se julga mais do que na realidade é!
Parabéns pela distinção.
Cumps

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo texto...bela musica...Espectacular....
Beijos